“Não abri negociação”, afirma Rodrigo Caetano sobre interesse do Grêmio

"Não abri negociação", afirma Rodrigo Caetano sobre interesse do Grêmio
(Foto: Divulgação/Atlético-MG)

Uma das principais promessas de campanha de Alberto Guerra, para a presidência do Grêmio, não será cumprida, ao menos inicialmente. Em entrevista coletiva, na tarde desta quarta-feira (16), o dirigente Rodrigo Caetano afirmou que pretende continuar no Atlético Mineiro até o final de seu contrato.

Muito cobiçado no cenário brasileiro, Rodrigo Caetano foi um dos nomes que Alberto Guerra citou estar negociando, para se juntar ao comando do Grêmio, caso fosse eleito. Na coletiva transmitida pela GaloTV, o dirigente confirmou o interesse de Guerra, mas, afirmou que não seguiu com as conversas.

Tu Viu?

Neymar está a um gol de igualar Pelé como maior artilheiro da Seleção
Brasil goleia a Coreia do Sul e enfrentará a Croácia nas quartas de final da Copa
Croácia bate Japão nos pênaltis e enfrenta o Brasil nas quartas de final

“Sempre tive uma relação próxima com Alberto Guerra. Ele fez realmente o convite. Não abri negociação. Nem poderia. Pretendo cumprir meu contrato com o Atlético-MG. Meu trabalho segue no Galo até uma definição diferente da atual.” – afirmou Rodrigo.

Os nomes para os cargos políticos do Grêmio devem ser anunciados ainda nesta quarta-feira (16). Com o evento de posse agendado para à noite, Guerra deve revelar quem serão os escolhidos para compor as funções de Executivo, Diretor de Futebol e Vice-Presidente, além da nomeação de dois conselheiros.