O Bairrista  / Terceiro Caderno

15°
Me segue, chê!
Quarta, 1 de Novembro de 2017

Nova lei no RS pode colocar na cadeia o cônjuge que não esperar pelo parceiro para terminar uma série no Netflix

Para o Governo Gaúcho, combinar uma maratona e não cumprir conta como traição.

PORTO ALEGRE, C.F – A justiça Gaúcha cansou de palhaçada. Depois de inúmeros casos reportados de casais que se separaram após organizarem uma maratona de séries, o Governo do RS resolveu se manifestar.

A partir de 1º de janeiro de 2018, o cônjuge que não esperar pelo parceiro para terminar uma série no Netflix pode ir para a cadeia. Somente nos 3 primeiros trimestres de 2017, cerca de mil divórcios foram realizados por causa das maratonas de séries.

– Nossa medida vai de encontro ao temor que temos de que não exista mais nenhum casal no RS. Os divórcios não param de acontecer – disse o Presidente Sartori.

Com a nova lei, um calendário será estipulado para que as séries sejam assistidas em casal, sem ninguém furar a fila. Um dos casais que se divorciou falou com nossa reportagem.

– Ela sempre dormia no meio dos episódios. Teve um dia que não aguentei e terminei Stranger Things – disse José.

Para Helena, a desculpa não serviu e o casal se divorciou, apesar da própria ter admitido que também assistiu séries sozinha.

–  Eu confesso que também assisti algumas séries sozinha, escondida. Mas nada sério – disse a divorciada.

*Os nomes foram alterados para manter a privacidade do casal.

Copiar

Voltar para a página anterior