Brazil x México: NOTAS


Sem mais delongas vamos às notas dos atletas:

Rafael – não pegou nem gripe, nota 1.

Danilo – Caso a novela das 21h da Globo fracasse, a emissora tem uma carta na manga: Avenida Danilo. Nota 1.

Thiago Silva: Zagueiro faceiro. Nota 2.

Juan: Talvez esteja na profissão errada. Nota 1.

Marcelo: o carnaval já acabou, mas ainda não tirou a máscara. Nota 2

Sandro. É volante. Mesmo em derrotas há de se enaltecer os volantes. Nota 8.

Rômulo: Tentou atacar mais do que o recomendado. Erro fatal para um volante. Nota 3.

Oscar: a atuação de hoje não foi digna nem de Globo de Ouro. Nota 2.

Hulk: Talvez pela cor do adversário, talvez pela falta de super-poderes, o fato é que tremeu diante do time de verde. Precisa de uma bola só pra si. Tem a fome de mil mendigos. Nota 2.

Damião: Acertou o banco de reservas ao ser substituído. Uma incrível evolução em relação ao restante da partida. Nota 4.

Neymar: Vendo que o futebol não era seu forte, preferiu mudar de esporte e tentou o UFC. Foi nocauteado. Nota 0.

Bruno Uvini: Quem sabe um dia. Ainda não. Nota 2.

Lucas: Gostava mais dele quando se chamava Marcelinho. Nota 1.

Pato: Evitou jogadas de choque para não se machucar. Um sinal de cautela. Nota 4.

Mano Menezes: É o melhor exemplo da lei da gravidade. Logo, logo vai cair. Nota 0.

México: Seguiu o bom exemplo de Ligeirinho e matou logo a partida antes de fechar-se com cautela. Gostei. Nota 7.

Pós-jogo: A torcida brazileira, descontente com as recentes atuações, pediu minha presença no comando do time. Mais uma prova de que a cautela se espalha pelo mundo. Só aceitarei o cargo caso a Seleção Gaúcha desista de jogar a Copa por achar que trata-se de um torneio de nível técnico muito baixo.

03 JUN 2012

COMENTÁRIOS