Quinta, 19 de setembro de 2013 | 04h02

Embargo infringente pode derrubar arcebispo catarinense de Porto Alegre

Revoltados, Gaúchos tentam dispositivo legal para derrubar Dom Jaime Spengler.

TAMANHO DO TEXTO:

dom jaime

PORTO ALEGRE, C.F – Se o arcebispo é catarina, Deus é Gaúcho, era o que diziam os populares ao saber que Dom Jaime Spengler foi escolhido para comandar a Igreja Católica na Capital de todos os Gaúchos. Outros cogitaram converter-se ao budismo ou outras religiões só para não ter que ter fé em um catarinense. Mas a solução caiu no colo dos Porto-Alegrenses por acaso, vinda do Brazil. O ministro do STF, Celso de Mello, conseguiu provocar um novo julgamento para os mensaleiros através de um dispositivo chamado “embargo infringente”. E agora a mesma tática pode ser usada contra Dom Jaime.

- Na verdade a gente nem sabe o que significa embargo infringente, mas tamo pelo bolo e por derrubar esse catarina – disse Romualdo Nogueira, Gauchão que está acampado no Parque Harmonia e foi até a Catedral Metropolitana rezar um pai nosso.

Os mais radicais não deram bola para dispositivos legais ou votações e partiram para a ignorância. Enquanto os mais exaltados prometiam nunca mais rezar para a Nossa Senhora, outros ameaçavam iniciar uma nova revolução.

- Se esse catarina não pedir pra sair, nós vamo tomar uma atitude. Mas dessa vez vamo entrar pra ganhar – revelou Paulo Gomes, católico e Gaúcho.

* Colaborou o vivente Alexandre Batista.